Textos



Alteridade

Aprendi, a no outro, me ver,
Como num espelho, ser,
O reflexo de mim mesmo.
Vi imagens deformadas,
Até mesmo, caricaturadas,
Na forma de ver o mundo.

Vi a face do egoísmo,
Olhei de perto o despotismo,
E as agruras da miséria.
Senti as dores da fome,
Daquele que quer, e não come,
E os miasmas da matéria.

Aprendi a ser o que sou,
De quem foi amado e amou,
A sentir as marcas que o amor deixou.
Percebi que nada é eterno
Dentro da própria eternidade,
E que o amor é a fonte da felicidade.


 
elzio
Enviado por elzio em 09/08/2017
Alterado em 10/09/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários


Imagem de cabeçalho: raneko/flickr